terça-feira, 16 de novembro de 2010

Fazes-me falta


Não sei o que fazer.

Não é amor também sei.
Uma necessidade de fechar a porta e assim mantê-la.

Esta porta não pode ficar entreaberta. Não quero.

Quero a alegria, a harmonia, a paz 
e o prazer permeando tudo que é preenchido pelo amor.

Eu abro a porta para que as mágoas e ressentimentos saiam.
Todas elas e todos eles. De verdade.

A intenção move à ação.

Depois que se vão, me despeço e agradeço.
Sigo em frente.

Adeus passado. Eu te deixo ir definitivamente.

muchas gracias soy grata thanks. Grata.

Grata a Inês Pedrosa por Fazes-me falta...

"Como sabes, eu vivo por relâmpagos, contigo partilhei uma trovoada um pouco mais longa do que o habitual. Foi apenas isso."

Bye

Keli

2 comentários: